Hsieh: fora do convencional

Pra jogar tênis, precisamos de várias habilidades. Destrezas motoras como coordenação motora, agilidade, resistência, coordenação óculo-manual, são tão importantes quanto qualidades de outra ordem, como as qualidades mentais. Concentração, persistência, inteligência tática, controle emocional, vão interferir nos resultados de um jogador, tanto quanto sua desenvoltura “física”.

Podemos dividir o ser humano em partes? Didaticamente separamos para compreender melhor as áreas a serem treinadas, mas na realidade, o jogador se forma e se desenvolve de forma integral, unindo as práticas dos golpes, movimentações de pernas, juntamente com seu raciocínio e capacidade emocional de atuar nas disputas.

Entender o ser humano como um ser complexo e integral, pode nos fazer entender porque alguns tenistas tão “talentosos” não mostram os resultados esperados por treinadores ou patrocinadores.

Sucesso no profissional

Se você tivesse condições e a oportunidade de patrocinar um atleta profissional de tênis, você escolheria essa atleta?

Um forehand onde se segura a raquete acima da mão não dominante e terminando o golpe apenas com a mão direita (mão dominante), é bem fora do convencional. O número de slices de direita que ela aplica no jogo, poderia ser considerado como um jogo sem futuro…

Se alguém me perguntasse se seria possível jogar com essa técnica no nível profissional, provavelmente eu diria, que seria impossível!

Mas quem sou eu pra questionar a técnica de alguém que tem no currículo:

-número 1 do mundo de duplas em 2014

-número 23 do mundo em simples em 2013

-7,5 milhões de dólares na carreira

-Acabou de ganhar o título de Wimbledon nas duplas femininas

Su-Wei Hsieh of Chinese Taipeh & Barbora Strycova of the Czech Republic during the trophy ceremony after the final of the 2019 Dubai Duty Free Tennis Championships WTA Premier 5 tennis tournament

Su-Wei Hsieh, é uma jogadora de de Taiwan (Taipé Chinesa), que chama a atenção por seu jeito peculiar de jogar. Ela aplica muitas curtas inusitadas e o padrão dos seus golpes é fora do convencional. Acho que por isso fica até difícil a leitura da bola e da jogada.

Liberdade técnica

Saber disso não nos dá liberdade de jogar de qualquer jeito. Se você tem oportunidade de aprender boas técnicas e condições de executá-las, perfeito!

Mas é bacana entender que muitas qualidades importantíssimas de um bom jogador nem sempre são visíveis a olho nu!

A mentalidade de um campeão, por exemplo, só ele mesmo sabe bem como é. As pessoas próximas, que convivem de perto, também conseguem entender momentos críticos, e detalhes que passam imperceptíveis pra maioria.

Su-Wei Hsieh of Chinese Taipeh after winning her first-round match at the 2019 Nature Valley Classic WTA Premier tennis tournament.

Outro dia um aluno meu, disse que iria fazer igual ao pai dele pra poder virar o jogo. Virou o boné pra trás e disse: agora eu viro esse jogo!

Dou aula para o pai e e filho há muitos anos, e nunca percebi essa virada de boné, que o filho conhecia! Com menos horas de convivência, esse detalhe passou despercebido por mim.

Conhecendo o adversário

Assim como as crianças e juvenis que passam a vida enfrentando os mesmos adversários. Cada trejeito, cada expressão facial, postura, pode representar muito do que o adversário esta pensando ou sentindo.

-Quando esse cara começa a falar sozinho, já está ficando desesperado. Eu conheço bem!

-Quando essa garota manda a primeira bola na tela, sua paciência já se esgotou!

-Estou vendo na “cara” dela que está entregando o jogo!

Saber interpretar o seu adversário, é igual conhecer o jeito do namorado, da mãe, do chefe…

Conhecer o ser humano e tentar “prever” como ele vai agir, e o que ele provavelmente está pensando, vai ajudar muito o tenista a resolver seus problemas no jogo.

A ANTECIPAÇÃO tão famosa, pode ficar aguçada quanto melhor você souber entender as outras pessoas, suas reações, suas atitudes, seus pensamentos e sentimentos.

Conclusão

O ser humano, é um ser integral, e não se pode separar seu lado físico, do seu lado cognitivo e emocional. Tudo vai andar junto. E isso vale para o jogador de tênis.

Nosso esporte possui padrões técnicos bem definidos, porém, alguns casos de sucesso fora desses padrões, nos mostram que existem muitas qualidades a serem valorizadas em uma pessoa, que o tornarão um excelente jogador.

Su-Wei Hsieh of Chinese Taipeh in action during her quarter-final match at the 2019 Dubai Duty Free Tennis Championships WTA Premier 5 tennis tournament

Quanto melhor executada a técnica, menos esforço você terá que fazer, e evitará futuras lesões, então, sempre que possível, pratique para melhorá-las. Mas saiba que esse fator não é o determinante para se formar um bom jogador.

Como há muitas qualidades a serem medidas em um bom jogador, temos que saber entender o ser humano, e especialmente o nosso adversário para que a gente “adivinhe” suas boas jogadas, seus maus momentos, para tirar bom proveito das oportunidades!

E você? Quanto pagaria para ler os pensamentos do seu adversário em uma final de 1 milhão de dólares?

Desfrute das belas jogadas de Hsieh!

8 comentários em “Hsieh: fora do convencional

  • 18 de julho de 2019 em 12:56
    Permalink

    Muito interessante, como esse esporte é fascinante. Obrigado pela aula.

    Resposta
    • 26 de julho de 2019 em 17:50
      Permalink

      Eu que agradeço sua participação, Haroldo! Esse esporte é fascinante e tem muitos mistérios. Estou tentando descobri-los!

      Resposta
  • 5 de agosto de 2019 em 13:48
    Permalink

    Professora Thais….por que jogadores como Dimitrov, Raonic, Bouchard e Gavrilova, que tiveram uma ascensão meteórica no início, acabaram se estagnando e não mais evoluíram?……culpa dos técnicos que não souberam administrar essa evolução?…….abçs

    Resposta
    • 5 de agosto de 2019 em 14:11
      Permalink

      Tadeu, seria muita pretensão e talvez irresponsabilidade da minha parte, atribuir a uma única causa, a ascensão ou queda do desempenho de vários atletas, com histórias diferentes, países diferentes. Fico honrada por perguntar minha opinião, mas não me sinto preparada pra responder. Obrigada por acompanhar o blog e o YouTube! Espero poder passar informações que te ajudem no tênis! Um abraço! Thaís

      Resposta
  • 17 de setembro de 2019 em 10:29
    Permalink

    Não conhecia essa jogadora de técnicas inusitas e que domínio da bola, que inveja! Hahaha
    Tudo mto fácil p. ela!
    Adorei a matéria e os vídeos…

    Resposta
    • 17 de setembro de 2019 em 19:24
      Permalink

      Pois é, Mirele! Ela já foi primeira do mundo de duplas e 23a de simples. Acredito que acabou se adaptando a essa técnica própria, e tem sucesso na sua carreira de tenista! Fico feliz que gostou!

      Resposta
  • 31 de outubro de 2019 em 20:53
    Permalink

    Professora Thaís, prazer em conhecer seu blog! Pesquisando a técnica de forehand, encontrei seu blog e estou adorando 😀

    Acompanho alguns jogos da Hsieh e a acho sensacional como atleta e pessoa…super simpática e sempre sorrindo 🙂

    Parabéns por lembrar de outras jogadoras que não são tão conhecidas do grande público, mas que batem um bolão!!!

    Resposta
    • 6 de novembro de 2019 em 10:30
      Permalink

      Fico feliz por ter nos encontrado, Juliany! Em relação a Hsieh, o grande lance é que ela tem técnica e jogadas fora do convencional, e joga num alto nível assim. Muito bom para romper paradigmas e abrir a cabeça sobre conceitos pré-estabelecidos. Quando tiver alguma dúvida, sinta-se à vontade para entrar em contato. Segue meu e-mail: thais@euamojogartenis.com.br Siga firme no caminho do tênis! beijos Thaís

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *