Fracassos/vitórias: uma relação de sucesso

Quando vemos os grandes campeões, como Federer e Nadal, completarem números gigantescos de vitórias, troféus ou Slams conquistados, inevitavelmente estamos comparando com o resultados dos outros jogadores.

Rafael Nadal venceu pela 12a vez Roland Garros em 2019

Em um grupo de whatsapp que participo, uma pessoa comparou o Brasil com a Argentina em número de jogadores no top 50. Nessa data que estou escrevendo não há nenhum brasileiro.

Mas o ponto onde quero chegar é: será que para continuar seguindo no caminho do tênis, precisamos ter mais vitórias que derrotas?

Alguns especialistas defendem que não! Ufa, senão eu já tinha parado há muito tempo atrás…

Eu não aprendo mesmo…

Eu não aprendo a golpear de esquerda, então por isso eu dou slice.

Eu não consigo bater na bola, por isso só dou balão.

Eu só levo passadas e lobs, por isso não subo pra rede.

Tomar como verdade algumas coisas no mundo do tênis, pode te travar, assim como na vida pessoal ou profissional.

Lamentar e não agir: passividade

Se você acreditar que não adianta tentar, pois você não vai aprender, você está certo.

E se você acreditar que pode aprender, e se mobilizar para isso acontecer, você também está certo!

Não estou falando de alucinações, tipo, começou a jogar aos 40 anos e daqui três anos gostaria de derrotar um tenista profissional…

Estou falando de metas realistas, dentro das suas condições físicas.

Já tive alunos que acreditavam que não aprenderiam a rebater de esquerda. Confesso que foi mais trabalho convencê-los do contrário do que efetivamente ensinar a tal da esquerda!

Desamparo aprendido

Existe uma teoria em psicologia chamada de desamparo aprendido. Em poucas palavras, quando vivenciamos uma situação difícil, nos comportamos passivamente de forma que nos sentimos impotentes e incapazes de enfrentar esse problema.

Podemos também, contrariar a teoria do desamparo aprendido, e agir diante das situações, assumindo o controle.

Se você não consegue devolver bolas sem peso, trate de procurar um professor, e ele te ensinará como fazer.

Se você perde jogos por não saber devolver bolas altas na esquerda, procure informações. Como se faz para devolver essas bolas? E claro, tratar de treinar bastante!

Se você paralisa ou amarela nos torneios, entenda porquê isso acontece e enfrente seus medos. Busque conhecimentos sobre psicologia esportiva e exercícios práticos para melhorar esse aspecto do seu jogo.

Simplesmente dizer que não é bom em tênis o suficiente, ou que não nasceu com muitas habilidades, é uma desculpa que não cola mais.

Assuma as rédeas do seu desenvolvimento como tenista!

Fracassos

Assumir o controle da sua vida de tenista, vai te levar sempre ao sucesso?

Acredito que não. Os fracassos virão. Você pode estafar seu braço e não conseguir treinar tanto quanto gostaria, você pode fazer tudo certo no jogo, e ainda perder, você pode treinar exaustivamente e ainda terminar o ano como segundo do seu ranking.

Valorizar as pequenas vitórias, vai ser uma importante tarefa para continuar. Cada dia em que você poderia desistir e não desiste, é uma vitória. Cada treino realizado é um vitória. Cada esforço, ainda que não bem sucedido, também é uma vitória. Cada inscrição de torneio é um enfrentamento!

Cada gota de suor é uma vitória

Não espere um troféu chegar pra comemorar. Não espere um elogio do professor para se alegrar. Não espere a sua melhor jogada, para se sentir realizado.

Valorize cada esforço, cada passo que dá em direção ao seu objetivo. Comemore cada gota de suor no seu esforço diário, cada gota de suor no dia do campeonato.

Comemore cada bola que você correu e não desistiu.

Pensar que fulano de tal joga bem porque joga desde criança ou porque tem mais dinheiro pra pagar treinamentos que você, só levará você a passividade. E a passividade não levará você a lugar nenhum.

Controle sua vida, controle seus treinamentos e não canse de buscar.

Conclusão

Aprender a jogar tênis e seguir esse caminho é uma experiência individual cheia de sucessos e fracassos.

Você pode enxergar cada bola que não pega no meio da raquete como um fracasso. Ou pode enxergar como mais um passo em direção ao seu objetivo.

Realização a cada passo!

Aceitar suas condições genéticas/ambientais (sou baixinho, sou gordo, sou descoordenada, sou preguiçoso) vai te paralisar e te tornar uma vítima das circunstâncias.

Hoje em dia existem excelentes profissionais dando aulas de tênis, fontes de informações em livros, televisão e internet. Quadras públicas, materiais de baixo custo e muitas pessoas querendo treinar tênis.

Você pode evoluir seu jogo sim! Matricule-se nas aulas, faça condicionamento físico, assista bons jogos, leia sobre tênis e entenda que a vitória é um fim.

E o tênis, assim como nossa vida, é feita do caminho.

Bons treinos e bons jogos!

2 comentários em “Fracassos/vitórias: uma relação de sucesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *