Os Benefícios do Tênis Amador

Torneio Dupla Centenária na Arel

Nesse final de semana foi realizado o 31° Torneio Dupla Centenária na AREL/Londrina.

Fui convidada por uma amiga a participar da categoria feminina, chamada Copa Diamante que está em sua 15ª edição.

O torneio reúne duplas as quais a soma das idades deverá somar 100 ou 75 anos, respectivamente no masculino e no feminino.

Esse torneio é quase uma fonte da juventude, pois com o passar dos anos fica cada vez mais fácil encontrar um parceiro! E cada ano que passa, aumenta a possibilidade de jogar com alguém mais jovem, que possa fortalecer a dupla!

Integração

Os torneios de tênis geralmente separam as categorias por idade ou nível técnico. Essa é uma forma de se tornar justa a competição.

Mas na dupla centenária vemos diversas duplas se formando, e uma integração entre diferentes perfis de jogadores jogando entre si.

Vários treinadores aproveitam para incentivar seus pupilos. Sidinei Nabor fez parceria com Celso Nakahara, pai do famoso Vitão!

Vitão é a cara da simpatia do torneio!
Sidinei e Vitão na foto acima. Celso e Sidinei na foto de baixo.

Rodrigo e seu pai Sr. Hamilton jogaram pela segunda vez juntos. A primeira foi há 30 anos atrás, num torneio de pais e filhos! Rodrigo era ainda criança!

Os dois estavam muito motivados a jogarem juntos, e tiveram um excelente resultado, chegando até a final, e realizando ótimos jogos até lá.

Rodrigo e Chacrinha, como é conhecido o Sr. Hamilton, são treinadores no Graciosa Country Club em Curitiba. Para adquirir parte dessa sabedoria em tênis, encontre o coach Rodrigo Costa Cristo aqui.

Rodrigo Costa Cristo, Thaís e Sr. Hamilton Costa Cristo


Respeito

Rodrigo e Chacrinha foram finalistas do torneio demonstrando classe e servindo de exemplo para os outros tenistas! Respeito aos adversários mais velhos, sem diminuir toda competência técnica adquirida em muitos anos de dedicação foi o que mais chamou atenção!

Bárbara e  a mamãe Maria Cristina

A possibilidade de jogar pai e filhos juntos, onde os melhores tenistas da região se reúnem é uma oportunidade ímpar!

Mostrar para o público respeito mútuo com parceiros, e também com os adversários é dar um belo exemplo para o tênis e para a vida! 

Calor humano e novas amizades

A receptividade nesse torneio, segundo minha experiência, foi maravilhosa!

Chegar em um lugar onde você não conhece quase ninguém e ser recebido com simpatia e alegria, é tudo o que queremos para voltar sempre!

Recepção calorosa

Um evento é feito de organizadores, colaboradores, patrocinadores e os tenistas! E nesse torneio foram um belo exemplo de sucesso!

Motivação para melhorar

Um torneio de tanto repercussão motiva os participantes a continuar e se preparar para o ano seguinte!

E isso aconteceu com minha “empresária”, Arina Uratani, que agenciou uma dupla que se entendeu logo de cara! (eu e a Solange Vicentin)

Thaís e Solange

Arina , tenista Londrinense que chegou a ter pontos no profissional desde os 16 anos de idade, se animou a voltar às quadras de tênis e promete se preparar para o ano que vem.

Miga, promessa é dívida!

Arina Uratani (ex-jogadora profissional) e Thaís

Conclusão

O tênis amador pode ser muito competitivo, mas também traz a todos que participam muitos benefícios para a vida inteira!

Tenho alguns amigos que conheço desde a infância e espero poder continuar participando dos mesmos eventos que eles por muito tempo ainda. 

Fazer amigos pra vida toda, aprender a respeitar os mais velhos, os mais novos também, estar aberto a novas amizades, interagir com diferentes pessoas, e manter-se motivado a sempre melhorar e aprender, são algumas entre tantas coisas maravilhosas que o tênis dá pra gente!

Vem jogar tênis!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *