nadal50010

Dicas para fortalecer sua mente: metas, treinos e focar no rendimento

Recentemente, fiz um vídeo e um post com o Jair Montovani, onde ele dá 3 dicas para os tenistas que desejam evoluir e continuar nesse esporte maravilhoso.

Muito interessante, que extraí das dicas a essência psicológica que tanto influencia nas partidas e no desenvolvimento do jogador.

Primeira dica: estabelecimento de metas

A primeira dica do Jair é ter objetivos claros do que você quer. Isso vai evitar frustrações e ajudar o treinador a fazer um programa individualizado conforme suas metas.

E isso vale para qualquer nível de jogador. Desde o amador, até o juvenil que pretende se profissionalizar.

Segundo Weinberg & Gould, o problema não é conseguir que as pessoas tenham metas, mas sim que estabeleçam o tipo certo de metas – que dêem orientação e ajude a motivação – e ajudá-las a aprender como se apegar e alcançá-las.

As metas objetivas são mensuráveis, podem acontecer dentro de um determinado tempo, e são mais específicas que metas subjetivas.

São metas objetivas as metas de resultado, desempenho e de processo.

Metas de resultado

Querer vencer um torneio, ou um determinado adversário são exemplos de metas de resultado.

Meta de resultado: vencer Roland Garros!

Alcançar essas metas não depende só de nós. Você pode ter jogado a melhor partida da sua vida, mas pode ter perdido pois a capacidade do adversário e o jogo dele foi superior.

Metas de desempenho

Estão focadas na auto-superação. Aumentar o número de acertos de primeiro saque, trocar mais que 3 bolas no ponto seriam exemplos de metas de desempenho.

Metas de processo

As metas de processo são basicamente as correções técnicas que tentamos fazer. Rebater a bola mais a frente do corpo, acertar a empunhadura continental pra fazer um voleio, flexionar os joelhos para obter mais potência nos golpes são exemplos.

Meta de processo: ponto de contato a frente do corpo

Dicas para o estabelecimento de metas

  1. Estabeleça metas específicas
  2. Estabeleça metas moderadamente difíceis, mas realistas
  3. Estabeleça metas de longo e curto prazo
  4. Estabeleça os 3 tipos de de metas citados acima
  5. Tenha metas de treino e de competição
  6. Registre as metas
  7. Desenvolva estratégias para atingir as metas
  8. Tenha compromisso com a meta

Segunda dica: treine!

Essa dica parece óbvia, mas o que se esconde por trás dela é que quando você treina algo específico, aumenta sua confiança. 

Claro que quanto mais praticar determinado padrão motor, mais automatizado o movimento , e também armazenado na memória de curto prazo. 

Quando aprendemos um movimento efetivamente, ele é armazenado na memória de longo prazo (alguém já desaprendeu a andar de bicicleta ou dirigir?). Porém a melhor performance exige da memória de curto prazo as respostas necessárias para garantir a precisão.

E pra isso, temos que treinar constantemente. E mantendo na memória, também temos aumento da confiança. 

Melhorar o condicionamento físico pode melhorar sua confiança

Assim como o aumento do condicionamento físico também nos traz a segurança de nossa capacidade de suportar os esforços exigidos.

Terceira dica: focar em rendimento, e não resultados

Ter como metas apenas os resultados, como ser campeão de determinado torneio, ser o primeiro do ranking do clube, pode trazer uma alta carga de stress e ansiedade.

Isso porque mesmo que você tenha se saído muito bem, melhorado seus golpes, seu jogo, se houver outras pessoas que te superaram, você pode se sentir fracassado. E isso poderá ser enganoso e frustrante!

Quando você se concentra em evoluir determinados aspectos do seu jogo em um ano, por exemplo, você pode chegar ao final do ano, e ter atingido essas metas que estabeleceu (metas de desempenho ou processo), mesmo sem ter atingido outra meta de resultado de ser o número 1 do ranking.

A meta de resultado é útil, mas pode trazer muitas ansiedades. 

E a terceira dica do Jair foi colocar o enfoque no desempenho/rendimento para o processo todo ser sempre divertido! Pois sem ter diversão, não faz sentido jogar tênis!

Conclusão

O lado mental do tênis é muito importante. As três dicas do Jair deram um enfoque a essa área, pois são formas de continuarmos seguindo em frente.

Ter objetivos claros, treinar, e manter o foco no seu desenvolvimento são dicas que devem ser consideradas para que jogar tênis seja sempre um motivo de alegria!

Referência bibliográfica: Weinberg & Gould, Fundamentos da Psicologia do Esporte e Exercício.

Thais Hiroki

Gostou desse artigo, compartilhe 😉

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre o seu e-mail e fique por dentro de todas as novidades do blog.

Direto ao ponto

Mantenha-se atualizado

Deixe seu e-mail e receba todas as novidades do blog. 

Copyright 2020 © Todos os direitos reservados - Eu Amo Jogar Tênis