Como sacar bem?

Essa semana recebi um e-mail de um pai, que gostaria de saber algumas dicas de como melhorar o saque da sua filha que está aprendendo tênis.

Eu poderia ter respondido o e-mail com diferentes abordagens técnicas, como a importância da empunhadura continental, ou a fluência na preparação da raquete pra gerar velocidade e minimizar o esforço, ou até a porcentagem de força gerada por cada movimento da articulação envolvida (rotação interna do ombro responsável por um grande percentual da força do saque, por exemplo).

Mas eu sou a favor de que se estabeleça sempre uma boa base antes de querer construir um castelo em cima. Porque senão, esse castelo luxuoso cheio de técnicas admiráveis, pode desabar.

Eu já desabei, e já vi muita gente desabar. E com isso, o tênis perde mais um inscrito na categoria 85 anos do torneio do clube.

Base motora

Para aprender as habilidades novas de cada esporte, é importante que a pessoa tenha vivenciado durante sua vida, movimentos que servem de base para a futura aprendizagem.

Muitas pessoas que jogavam futebol e foram aprender tênis comigo, apresentaram uma facilidade enorme na leitura do pingo da bola, na movimentação de pernas, na “malícia” das jogadas.

Existem qualidades que são comuns a vários esportes diferentes, e outras qualidades que são pré-requisitos.

O fato é que quanto mais diversificado for o repertório motor da pessoa, mais facilidade ela terá pra aprender tênis.

Golpes específicos

O tênis tem alguns golpes específicos, como o forehand (direita), backhand (esquerda) e o saque.

Eles possuem um jeito “certo” (se é que existe certo nessa vida!) de serem executados para minimizar o esforço e potencializar a qualidade (velocidade, variações, efeitos etc).

Quando o aprendiz, já teve vivência em outros esportes, ele possivelmente adquiriu tempo de bola, controle do próprio movimento do corpo, coordenação geral, e outras qualidades que fazem com que ele consiga rebater com sucesso a bola de tênis!

Quantos mini-profissionais eu já vi por aí, executando um movimento quase perfeito, mas furando todas as bolas.

Tem que haver um equilíbrio no que se aprende. Se ainda não for a hora de executar o movimento de direita do Federer, não tem problema. Ele quando tinha 3 anos de tênis, ainda não possuía a direita que possui hoje. E hoje em dia as pessoas tem 2 anos de tênis e querem aprender a direita do Federer…Calma, gente!

O saque

O saque é um mistério para a maioria dos mortais, a não ser para caras como Karlovic, Isner, e o Sam Groth.

Assim como qualquer outra habilidade, depende do domínio de certos movimentos que foram aprendidos anteriormente, pra que possa ser executado em um nível digno de um Grand Slam.

Saltar para sacar, preocupar-se com a tal pronação ou mesmo usar uma empunhadura continental, são coisas muito importantes, mas têm a hora certa de se aprender.

O mais importante no início, é assegurar que se aprenda diversos tipos de arremesso, para facilitar a aprendizagem das futuras técnicas em detalhes.

A habilidade básica de arremessar deveria ser direito da criança assegurado pela nossa Constituição Federal, pra que os alunos de tênis pudessem sacar melhor! #tenisesportenacional

Detalhes para sacar bem no futuro

Prática

Existem coisas que não precisam ser ensinadas. O vídeo que segue abaixo é um exemplo disso.

Arremessar pra sacar melhor

Três crianças de 8 a 10 anos, com boa vivência motora, isto é, que não ficam trancados dentro de um apartamento, conseguem fazer um arremesso cheio de riquezas técnicas, que ninguém nunca ensinou!

Posicionar o corpo de lado, elevar o braço e o ombro esquerdo em relação ao direito, usar a flexão e extensão do cotovelo, flexionar os joelhos, impulsionar com as pernas de baixo pra cima, transferir o peso do corpo pra frente são fundamentais pra sacar bem.

E foi exatamente tudo isso, que esses três meninos fizeram, quando eu provoquei: vamos ver quem manda a bola mais longe?

A explicação teórica do passo-a-passo do saque é complicada. Mas se o caminho da aprendizagem estiver certo, aprender a sacar vai ser muito fácil! E esse caminho começa com uma boa base motora.

Tirar as crianças do sofá, de dentro do apartamento, da frente do computador e do celular é responsabilidade dos pais.

Dar a mão, levar no parque, no clube, na praça, na rua pra brincar, não só vai fazer seu filho aprender bem a sacar. Vai devolver os movimentos naturais do corpo que a nossa sociedade “moderna” roubou das nossas crianças.

Conclusão

Jogar tênis envolve muitos movimentos novos e diferentes dos que já conhecemos.

Ter uma boa base motora, pode ajudar muito para aprender esse enigmático esporte, cheio de técnicas e detalhes misteriosos.

A técnica correta de execução do movimento é uma orientação pra que se realize um gesto esportivo sem tanto esforço e sem lesões.

O saque é um exemplo de um movimento complexo que os tenistas tentam aperfeiçoar praticando vários detalhes dos componentes desse golpe.

Na prática, as crianças que tiveram a oportunidade de brincar, jogar, e assim desenvolver uma série de habilidades com o corpo, possivelmente terão muito mais facilidade para aprender a jogar tênis de forma mais natural e intuitiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *