Split step

Assistir a um jogo de alto nível agrada os olhos dos admiradores do tênis e cria parâmetros de diferenciação entre o excelente jogador de tênis e o resto do mundo (pangarés na minha época).

A postura do corpo e a movimentação de pernas é notável quando um jogador é profissional: exibe um total domínio dos seus movimentos e sincronia perfeita com a bola que tem que rebater.

Alguns parecem que nem correm! Mas como pode isso acontecer num esporte onde a bola chega a ser projetada a 263 km/h ?

Tempo de reação

O tempo de reação costuma ser chamado erroneamente de “reflexo”.

O tempo médio de reação de uma pessoa jovem em bom estado de saúde varia entre 0,15 e 0,45 segundos. Esse é praticamente o tempo que o cérebro necessita para processar as informações que está recebendo e definir uma ação (medição do tempo de reação de uma pessoa).

“Nem pensei pra devolver essa bola! Foi no reflexo!”

Na rede temos que ter o tempo de reação bem rápido

Para se ter uma ideia, um saque a 230 km/h chega no devolvedor em 0,6 segundos. Como será possível der devolvido?

Então vamos colocar que num tempo de reação médio de 0,3 segundos, para devolver essa tijolada de saque, restam apenas mais 0,3 segundos para se iniciar um movimento de devolução.

Antecipação

Para reagir a velocidades tão altas, os tenistas desenvolvem a capacidade de antecipação. Não vamos entrar em detalhes sobre os tipos de antecipação, mas garanto que há algumas variações. Você pode ler esse post mais com mais detalhes sobre antecipação.

A antecipação acontece porque há um armazenamento de informações na memória. Com esse banco de dados a disposição do tenista, ele já tem respostas pré-formadas acerca de várias jogadas. (referências: cursos CBT)

Por isso, uma metodologia de ensino adequada deve garantir um número enorme de experiências para que o jogador armazene o máximo possível de informações, enriquecendo suas respostas e reações diante diversos problemas. (referências: cursos FPT)

Aquele tipo de treinamento que a bola sempre vem na mão e na mesma altura não enriquece a “malícia” do jogador em relação ao que verdadeiramente acontece no jogo.

No jogo, a riqueza de possibilidades variadas de bolas e combinações de jogadas, exige que se tenha respostas diferentes nas diferentes situações.

O “pulo do gato”: o split step

Quando um animal se coloca em situação de defesa ou se prepara para fazer um ataque ele se coloca numa posição bem característica, e é notável que está bem preparado para uma ação rápida.

No tênis não é diferente. Quanto mais rápida é a bola, o jogador deve se preparar com a postura do corpo adequada e no tempo certo também.

O split step é um pequeno salto com os pés na largura dos quadris, ou mais afastados, o suficiente para gerar um próximo movimento explosivo para qualquer direção: para os lados, pra frente, pra trás ou diagonais (sim, o tênis não tem só movimentação para os lados…).

O split step é fundamental para o jogador estar preparado para devolver bolas rápidas de forma eficiente. Junto com a antecipação, ele potencializa a condição do jogador devolver quase todas as bolas.

Esse salto deve ser sincronizado precisamente com o momento do golpe do adversário. Nas bolas de velocidade “normal”, podemos saltar no momento do impacto da bola na raquete do adversário.

Nos saques monstruosos de 200 km/h, o jogador inicia o split step, antes do impacto com a bola, para assim ganhar tempo suficiente para ter sucesso na devolução.

Split step + antecipação

Uma eficiente resposta exige uma perfeita sincronização de tempo entre as ações do devolvedor (split step e ida para a bola) com o impacto da bola na raquete do sacador.

O que acontece no jogo de tênis é que os movimentos que o tenista faz para projetar uma bola dão “sinais” que podem ser percebidos.

No caso do sacador, a posição do seu corpo, a trajetória da sua raquete, o movimento do punho ANTES DO IMPACTO mostram algumas dicas ao devolvedor de como será essa bola.

Ela virá com slice? Com top spin alto na esquerda? Flat no corpo? O bom devolvedor consegue traduzir os códigos enviados pelo sacador (estatísticas da ATP dos bons devolvedores/sacadores).

Isso sem dizer que os jogadores bons de matemática e memória, sempre estão contando o número de bolas que foram colocadas no saque aberto, fechado, e qual a possibilidade daquele cara fazer isso num 30-40 (porque ele lembra como foi das outras vezes).

Esse é outro tipo de antecipação fundamental para se tornar um bom jogador, onde se memoriza as estatísticas. Isso ninguém vê. (infelizmente, alguns pais não conseguem enxergar essa habilidade de inteligência tática que se desenvolve no cérebro de uma criança quando se usa a metodologia de ensino adequada)

Onde e quando?

“Então devo usar o split step quando o saque do meu adversário é rápido?”

Claro que sim. Além disso você deve usar o split step sempre. Isso. Sempre. Em todas as bolas.

“Nossa, assim vou cansar!”

Ah, pois é…Bem-vindo ao mundo dos perninhas fortes!

Vê se para de pagar aquela academia que você não gosta e não vai, e paga um bom professor de tênis para te ensinar a se movimentar para uma finalidade bem mais completa e divertida. (veja mais sobre os benefícios de se jogar tênis)

Estar se movimentando o tempo todo e fazer o split step toda vez que se adversário bater na bola é essencial pra se preparar rápido para todas as bolas.

Conclusão

O ser humano tem uma característica importante para os esportes, que é o tempo de reação. Quanto melhor nossa reação, seremos capazes de devolver saques a 200 km/h.

A antecipação também é uma qualidade que o jogador de tênis desenvolve ao longo das suas horas e horas de experiências de jogo, onde nada é previsível. Isso vai possibilitar um grande armazenamento de informações.

O split step é uma excelente forma de se preparar para reagir rápido. Juntamente com a antecipação, possibilita acontecer os “milagres” na quadra de tênis, onde um jogador responde um saque a 225 km/h e ainda sai ileso, sem nenhum arranhão, como no vídeo abaixo aos 3 minutos e 18 segundos.

Como devolver um saque a 225 km/h?

7 comentários em “Split step

  • 22 de agosto de 2019 em 18:05
    Permalink

    Meu professor sempre cobra o Split e seu post foi fundamental para melhor entendimento… Adorei!!!

    Resposta
    • 30 de agosto de 2019 em 11:52
      Permalink

      Que bacana, Mirele! O tempo do split é o principal para vc ter uma reação rápida e efeciente para a bola do adversário! Treine bastante! beijosss

      Resposta
  • 28 de agosto de 2019 em 17:31
    Permalink

    Thais minha querida me desculpe o enganokkk. Muito obrigada pelas dicas e pelo incentivo. Vou aguardar a entrevista sugerida para poder acrescentar mais conhecimento para minha evoluçáo . Um grande abraço.

    Resposta
    • 30 de agosto de 2019 em 11:54
      Permalink

      Eu que agradeço seu contato e participação, Fátima! beijos! Thaís

      Resposta
  • 17 de setembro de 2019 em 08:11
    Permalink

    Com ctz, treino é fundamental! Beijos até o próximo..

    Resposta
    • 17 de setembro de 2019 em 19:29
      Permalink

      Isso aí! Bora treinar! Obrigada pela sua participação, Mirele! bjs Thaís

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *